Fundada a 17 de agosto de 2007 por Carolina Marcello, Joana Coutinho e Paulo Brás, encerrou a sua atividade enquanto revista erótica a 17 de agosto de 2013, reabrindo a 12 de dezembro do mesmo ano como plataforma do projeto A MULHER É O FUTURO DO HOMEM.

Inter-cidades (Minês Castanheira)

(...)

Foram-se os braços. A tua ausência adivinhada muito antes
daqueles instantes a que decidimos chamar
últimos.
Desconfio mesmo que já cá não estavas
quando o amor se encontrou numa figura de estilo
(...)

Fui-te escrevendo devagarinho. Enquanto se iam os braços.
Os livros, esses,
afinal não dizem nada.
Recusam-te a eternidade - como é da sua natureza - têm
os braços como existências menores.
E faltam-me poemas nas estantes.


(...)
um abismo próprio dos voos para quem
percorre com os dedos o fim de um lombada macia.

(...)


(...) Passámos a ter janelas
para dentro
no lugar dos botões.

(...)


(...)

Tu vais porque te aguardam. Vais com
as mãos cheias e magoadas
e abertas.
(...)


(...)

Os novos amantes têm sido fiéis a velhos sonhos e
amado demasiadas palavras sem estrutura cardíaca.

Por isso te contradigo: este
não é um poema de amor, este nem sequer
é um poema.


(...) passaremos a
morar em diálogos, diagramas.
A consumir desejos
dentro dos prazos dos tempos verbais.


(...)

E vou apertar devagarinho os lábios e em seguida dizer-te
que devia ter vindo. Pausa. E que devia estar aqui. Pausa nossa.
No momento exacto em que rodas sobre uma perna e
me procuras na multidão.


Hoje vim mais cedo e ainda não está cá ninguém. Ou talvez tu
tenhas desistido antes mesmo das palavras porque agora és todo
poema
(...)


(...)
Não sabíamos que um beijo, não sei se te recordas, que um beijo
podia ser irreparável.
Não sabíamos que um verão podia abalar a estrutura das coisas
que tomámos por certas. (...)

Sem comentários: