Fundada a 17 de agosto de 2007 por Carolina Marcello, Joana Coutinho e Paulo Brás, encerrou a sua atividade enquanto revista erótica a 17 de agosto de 2013, reabrindo a 12 de dezembro do mesmo ano como plataforma do projeto A MULHER É O FUTURO DO HOMEM.

Viktor (Pina Bausch)

Os questionários de Pina Bausch
[4/5]

as perguntas, os temas, os pontos de partida sugeridos
pela encenadora aos bailarinos durante os ensaios


Conta qualquer coisa como se fosses um rato / Brincar a disparar e a matar / Ninfa / Para que não serve uma faca / Leiloar alguma coisa / Fazer uma fotografia de si mesmos - com um objeto / Movimento do cuco / Bailado de crianças / Dizer coisas muito bonitas - muito simplesmente / Responder seriamente / Noite. Fora. Cansados. Vestido de tule / Negociar um preço / De facto tivemos sorte, podia ter sido muito pior / Fontana di Trevi / Carne de vitela / Modificar o modo de fazer teatro / Ensinar alguma coisa / Início de um movimento de dança do ventre / Como os gatos / Movimento e pausa no espaço / Um braço que não acaba / Não se deixar penetrar por qualquer coisa / Domingo em Wuppertal / Estou verdadeiramente farto / Um ser parecido com uma ninfa / Daqui para ali, depressa / Ninfa veloz / Um movimento quase impercetível que tenha a ver com o voo / Cativar, seduzir - como crianças / Clube / Lysistrata / As fábulas deviam ser fuziladas / Mover-se com o corpo exangue / Andar - desequilibrados / Alguém vos deixou de mãos vazias / Bom dia, senhor... minha senhora / Um momento que se repete continuamente / Estar prevenidos contra tudo e contra todos / Fazer qualquer coisa - apoiando-se / Fazer algo de bom, mas proibido / Obrigados a dizer piadas / O que nos leva a regressar a casa / Estava aqui qualquer coisa - de repente, desapareceu / Que coisas te agradaram mais em Roma? / Espíritos / Coisas muito diferentes, mas com relação direta / Assustar alguém / Ao contrário de... / Começar uma briga / Esquilos / Que belo ser-se verdadeiramente sentimental / Namoriscar como esquilos / Tirar os avós do barril / Faço o que me apetece / Embriagado / Um vencedor aniquilado / Humilhar a soberba / O que se pode fazer para não ter medo / Uma nova forma de dançar a dois / Frio, seguro / Chegar a um entendimento com alguém / Qualquer coisa que se relacione com um gato / O que se pode esconder atrás de um sorriso / Ternura que não se consegue suportar / Qualquer coisa da mitologia romana / Camadas / Destituído de humor / Provar com requinte / Sentir-se inteiramente à vontade / "Não há nenhuma razão para rir... quando muito para chorar" / Mãezinha / Something little you saw today / Pensar numa pessoa que vive em Roma / Vários gestos bruscos / Arrastado até à exaustão / Puberdade / Símbolo de potência sexual / Elogiar uma coisa completamente má / Alguém que faz pena / Espaço-dança-movimento / Vestido de noite e saco de papel / Não ter absolutamente nada para fazer / Infiel / Qualquer coisa no limite das forças / Algo de exato / Não obstante... / Vocês são os melhores / O que viram de bonito? / Como crianças mal educadas / Sem vontade para nada / Perder uma aposta / Alguém se delicia com qualquer coisa / Cético / Sol, sol, sol / Walking on the mirrors / Wild cats / Qualquer coisa que se relacione com matar / A dolce vita / "Os romanos brincam a trabalhar" / Espaços, um dentro de outro / Qualquer coisa que se relacione com a saúde / Estátua / O mar aproxima-se cada vez mais / Algo que todos possam fazer / Uma coisa que se faz e não sai bem / Esqueletos / Vestígios de qualquer coisa / Turistas / Voluptuosidade / Sobreviver / Terra e água / Qualquer coisa entre marido e mulher / Duro / Jogo com o corpo / Como um ciganito atrevido / Pendurados / Confecionar alguma coisa / Como permanecer no poder / Duas pedras na mão / Ameaças de homicídio / Uma bela experiência inesperada com um estranho / Qualquer coisa muito bonita e o que se esconde atrás dela / Sempre diferente - como uma mulher / Um pequeno passo de dança, apoiando-se / Como reconhecer a velhice / Fuga / Fazer qualquer coisa pouco habitual com um objeto / Qualquer coisa que provoca dor física / Fazer algo que tenha ver com a agricultura - com elegância / Embalar pessoas / Segurar um ladrão / Andar - jogo com uma mão / Respiração / Qualquer coisa sobre o amor / Ritualizá-lo / Um floco de neve / Testemunhos mudos / Ao serviço de todos / Lamentação / Fazer qualquer coisa com uma cadeira / Jogo de polegares / O último raio de sol


Leonetta Bentivoglio (1994), O teatro de Pina Bausch (tradução de Maria José Casal-Ribeiro), Lisboa, Acarte / Fundação Calouste Gulbenkian.

Sem comentários: