Fundada a 17 de agosto de 2007 por Carolina Marcello, Joana Coutinho e Paulo Brás, encerrou a sua atividade enquanto revista erótica a 17 de agosto de 2013, reabrindo a 12 de dezembro do mesmo ano como plataforma do projeto A MULHER É O FUTURO DO HOMEM.

Auf dem Gebirge hat man ein Geschrei Gehört (Pina Bausch)

Os questionários de Pina Bausch
[3/5]

as perguntas, os temas, os pontos de partida sugeridos
pela encenadora aos bailarinos durante os ensaios


Qualquer coisa que se expande continuamente e não se consegue parar / Partir qualquer coisa porque se julga que com este gesto se consegue deter algo / Há alguma maneira de ajudar os animais a morrer? / Dança sobre uma casca de banana / Exercício de habilidade / Não querer ser consolado / Dizer qualquer coisa com muitos gestos / Uma atitude corajosa / Enternecer alguém com beijos / Várias medidas de segurança / Já viram algo diferente daquilo que tinham imaginado inicialmente? / Sinais de morte e de medo / Que rituais gostarias de transmitir / Deixar um sinal / Marca do corpo / Agarrar qualquer coisa como deve ser / Ser atingidos seis vezes por uma pedrinha / Ganir seis vezes como um cão preso a uma corrente / Olha / Ouve / Falar a uma doença ou a uma parte do corpo / Fazer com que uma parte do corpo seja mais bela ou ainda mais bela / Como se comportam com a tempestade / Transformar um defeito numa qualidade / O que levamos sempre numa viagem, esperando utilizá-lo, e que depois nunca usamos? / A calma antes da tempestade / Banido / Oferecer-se / Catch me / Bluff / Arquear as costas / Uuuh! / Jogos de sombra / Dizer uma frase subindo de tom como uma frase musical / Ensaiar às escondidas / Fazer exercícios de dança clássica às escondidas / Ver, por detrás de tudo, qualquer coisa de medonho / Mas nem tudo é assim tão importante / Magoar-se ligeiramente / Gostoso / Provocação / Something to entertain yourself / Menino Jesus / Buster Keaton em dificuldade / O Salvador / Tornar o andar pesado / Tudo volta de novo ao seu lugar / Uma coisa quebrada e outra inteira / Uma coisa partiu-se - as vossas reações / As nuances do desprazer / Qualquer coisa referente a uma marcha / A nossa relação atual com o pai e a mãe / Troféus / De que se sentem orgulhosos / O que é que já mataram? / Mentir / Os ratos apanham-se com o queijo / Sacrificar alguma coisa / Urgente / Posição de partida / Aproveitar-se de alguém para fazer mal a outra pessoa / Magoar um objeto / Ter alguém ao pé como proteção / I don't want to be alone / Andar, mas não na terra / Enfrentar um problema / Atitude ameaçadora / Acariciar qualquer coisa ou alguém / Balão / Bater seis vezes naquilo que os rodeia / Qualquer coisa de estranho no bosque / Belas reverências / Partir em direção a um ponto sem motivo / Balançar qualquer coisa / Interromper um movimento seis vezes / Dar passinhos de revista musical / Proteger-se antes de se magoar / Marchar rastejando / Um gesto enquanto se dorme / Medo das alturas / Histórias de gá-gás / Lamento das lebres / Acordo / Têm um barco, mas não têm a água / Brutalidade de uma criança / Please don't go behind me / Recitar uma fórmula, uma poesia / Desmazelada / Ficar contente porque há quem não se importe com nada / Lutar por qualquer coisa de pequeno que se ama / Qualquer coisa que valoriza a vossa beleza / Querer a todo o custo sentir alguma coisa / Transportar um peso / Afastar sentimentos de culpa / Esboçar um movimento de dança do ventre / Bater seis vezes no rabo / Responder afirmativamente a qualquer coisa de importante / Fadas do bosque / Gozar com o mal alheio / Simples objetos que se transformam em armas / Erotizar qualquer coisa com canções de amor / Interromper um movimento de dança / Ataviar-se de modo provocante / Querer chorar a todo o custo / Desejo de mover montanhas / Sentir um impulso para agir / Cortejar / Contar uma breve história com a voz e os pés / São tão pequenos que fazem pena / Abandonar algo de belo / Meter medo a alguém com uma máscara / Um indício que deixa supor que tudo irá correr bem / Casa de sonho / Antes da nossa entrada / Procurar amor / Cair - pose


Leonetta Bentivoglio (1994), O teatro de Pina Bausch (tradução de Maria José Casal-Ribeiro), Lisboa, Acarte / Fundação Calouste Gulbenkian.

Sem comentários: