Fundada a 17 de agosto de 2007 por Carolina Marcello, Joana Coutinho e Paulo Brás, encerrou a sua atividade enquanto revista erótica a 17 de agosto de 2013, reabrindo a 12 de dezembro do mesmo ano como plataforma do projeto A MULHER É O FUTURO DO HOMEM.

Sodoma divinizada (Raul Leal)

«Sodoma foi justamente condenada porque nela não existia Deus! Se os pederastas e luxuriosos de Sodoma exercessem o vício duma forma divina, compenetrando-se em absoluto de que era Deus quem lhes convulsionava delirantemente a alma e os sentidos, compenetrando-se, por exemplo, de que estavam a ser possuídos em carne e espírito por aspetos do Verbo espalhado no mundo inteiro, espalhado essencialmente em todos nós que somos aspetos vários, várias categorias da Existência Divina, então Sodoma não seria condenada a chamas purificadoras. Mas nessa cidade do Vício não havia piedosos, a luxúria mais profunda era exercida como prazer da Terra, da Natureza em que o Sobrenatural se não imprimia misticamente. Era como cousa humana que se sentia o Vício e não como inspiração de Deus. Este encontrava-se puramente alheado dos homens. Portanto Sodoma não foi condenada às chamas por ser viciosa mas por não ser misticamente viciosa. A sua exaltação de vício era uma exaltação terrena em que Deus jamais era sentido, sendo só sentida a Terra e o Homem-Natureza, alheado da sua essência sobrenatural, divina. Foi só por isso, foi só pelo facto dos viciosos não serem exaltadamente místicos, não vivendo Deus na Luxúria, que Sodoma foi castigada como castigados por Cristo foram os vendilhões no Templo.»

Sem comentários: