Fundada a 17 de agosto de 2007 por Carolina Marcello, Joana Coutinho e Paulo Brás, encerrou a sua atividade enquanto revista erótica a 17 de agosto de 2013, reabrindo a 12 de dezembro do mesmo ano como plataforma do projeto A MULHER É O FUTURO DO HOMEM.

O livro branco (Jean Cocteau)

«A minha mãe tinha morrido ao dar-me à luz e sempre vivi a sós com o meu pai, homem triste e sedutor. Já triste antes de perder a mulher. Mesmo feliz tinha sido triste, e era por isto que eu procurava na sua tristeza raízes mais profundas do que o luto.
O pederasta reconhece o pederasta como o judeu o judeu. Adivinho-o sob a máscara e encarrego-me de o descobrir nas entrelinhas dos livros mais inocentes. É uma paixão menos simples do que os moralistas imaginam. Tal como existem mulheres pederastas, mulheres que parecem lésbicas mas procuram os homens adotando o comportamento próprio dos homens que as procuram, há pederastas que se ignoram e até ao fim vivem num mal-estar confundido com uma saúde débil ou um feitio taciturno.
Sempre pensei que o meu pai era demasiadamente parecido comigo para diferir de mim neste ponto capital. Ele desconhecia, sem dúvida, a sua encosta, e em vez de a descer subia outra com muito esforço, sem reconhecer o que lhe fazia a vida tão pesada. Se tivesse descoberto os gostos que nunca encontrou ocasião para fazer desabrochar, e que frases suas, o seu andar, mil e um pormenores da sua pessoa revelavam, teria caído redondo no chão. No seu tempo as pessoas matavam-se por menos. Mas não; vivia na ignorância de si próprio e aceitava o fardo.
Talvez eu deva a tanta cegueira encontrar-me neste mundo. E lamento-o, pois melhor para nós dois seria o meu pai viver alegrias que tivessem evitado as minhas adversidades.»

Tradução de Aníbal Fernandes

Sem comentários: